Charles Webster Leadbeater nasceu em 17 de fevereiro de l847, em Stockport, Cheshire, Inglaterra. No começo de 1934, o Bispo Leadbeater saiu para revisitar Sidney. Durante a viagem, ele ficou doente e morreu em Perth, Austrália Ocidental, em lº de março, poucas semanas após seu octagésimo aniversário. Reservado, introvertido, autocrático, excêntrico em certas atitudes, e algumas vezes irritável com as colisões e incompatibilidades oriundas de experiências dispares, ele não revelava facilmente seu eu pessoal. Permitia que o falátorio ou as opiniões de outras pessoas sobre si mesmo permanecessem sem serem corrigidas, quer fossem favoráveis, desfavoráveis ou simplesmente falsas. Como o número daqueles que receberam o impacto direto de sua inspiradora e algumas vezes formidável personalidade reduziu-se, o Bispo Leadbeater é conhecido hoje em dia quase que exclusivamente através de seus escritos e através dos movimentos e instituições que ele estabeleceu ou ajudou a estabelecer.

E muito poucos foram aqueles capazes de acompanhá-lo em toda a gama de seus notáveis e variados interesses. Seja como uma personalidade histórica ou como o autor de mais de vinte livros notáveis, ele conquistou um imenso poder com sua imperturbável concentração de propósitos, e sua capacidade de não levar em conta e não prestar atenção ao que ele considerava irrelevante. Leadbeater francamente reconhecia que aquilo que ele descrevia era algumas vezes diferente do que outras pessoas descreviam. Tudo o que ele tentava fazer era descrever as coisas como as via, e se isso fosse útil para qualquer outra pessoa ele ficava satisfeito. Ele era bastante inclinado à idéia de que, uma vez que o que é realmente indescritível não pode ser descrito, todas as tentativas de descrição pelo menos apontam para as mesmas realidades subjacentes, mesmo quando as descrições envolvem incompatibilidades mútuas. Assim como sua mestra, Madame Blavatsky, veio a ser reconhecida como a maior ocultista que veio a público no século XIX, do mesmo modo C. W. Leadbeater provavelmente venha a ser considerado como o maior a surgir no século XX, ou pelo menos em quase um século após a morte de Madame Blavatsky.

Quando buscamos nos aproximar deles, lendo o que escreveram ou contemplando suas vidas de dedicação e trabalho penoso que levaram, somos em cada caso levados ao contato com uma vida moldada por uma firme coragem e uma indômita lealdade. Em Leadbeater, a impressão destas qualidades é aumentada por aquela confiante imperturbabilidade que tão fortemente sugere um homem que sabia tanto para onde estava indo, quanto aquilo que tinha que fazer. Para muitos isso o colocou, em alguma medida, como sendo "alguém com autoridade", e ele continuará a exercer uma poderosa influência sobre as mentes e valores de muitas pessoas nas gerações vindouras.

Como escritor, Leadbeater tinha um estilo simples e claro, de notável distinção, e podia transmitir suas idéias com grande lucidez. Não era, entretanto, um escritor que criasse uma atmosfera especial, nem possuía a habilidade de um novelista para apresentar um personagem. Aqueles de seus escritos que são transcrições de palestras que ele deu são poucos animados e muitos repetitivos, particularmente em sua velhice. A clareza e lucidez de seus escritos podem algumas vezes ter obscurecido seu significado, fazendo com que aquilo que ele disse parecesse demasiadamente fácil e possível de ser compreendido em um nível muito superficial, mesmo pelos leitores menos atentos. Muitos procuravam seus escritos porque eles tinham uma leitura mais leve que o estilo pesado de Madame Blavatsky, bem como um vocabulário mais coloquial. O enfoque do Bispo Leadbeater era sempre essencialmente factual e ético.

Ele procurou descobrir como as coisas são, a fim de decidir o que tinha que ser feito. Generalizações teóricas não eram coisas que ele considerasse muito seriamente ou lidasse com destreza ou originalidade. Ele não era um metafísico ou um teólogo. O que ele disse em termos gerais era frequentemente apenas uma cortês concessão à maneira de outras pessoas colocarem as coisas e pode soar um tanto óbvio. Em l906, centro de uma aguda controvérsia nos Estados Unidos, ele retirou-se da Sociedade Teosófica e dedicou-se a pesquisas clarividentes na Europa. Em l909, convidado pela Sra. Besant, que agora era Presidente da Sociedade Teosófica, a reatar a sua filiação à Sociedade, ele assim o fez e estabeleceu residência em Adyar.

Foi em Adyar, em 1909, que Leadbeater descobriu, como uma criança de notáveis qualidades, o jovem Jiddu Krisnamurti. A Sra. Besant imediatamente se interessou pelo menino e concordando com a impressão de Leadbeater a respeito do menino, tomou providências para sua educação. Suas faculdades psíquicas permitiram que ele rapidamente reconhecesse as qualidades potenciais de qualquer jovem e, em muitas ocasiões, ele pode perceber as qualidades que dariam à criança um excepcional carreira na vida adulta. Uma das pessoas em relação à qual ele fez um reconhecimento deste tipo foi um jovem ceilandês, C. Jinarajadasa, que foi com ele para Londres e foi seu aluno, juntamente com o jovem Sinnett.